Cuidados com reformas elétricas

Consumo de energia e riscos de incêndio podem aumentar com o uso de material elétrico pirata.

Segundo Norma Brasileira de Desempenho de Edificações (NBR 15.575), da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), desde 2013, todas as construções habitacionais devem seguir rigorosamente requisitos mínimos de desempenho, vida útil e garantia de habitabilidade. Neste contexto, devem ser observados os padrões de desempenho para estrutura, como fachada, pisos internos, coberturas, paredes internas e sistemas hidrossanitários, que devem possuir matérias normatizados.

Contudo, muitas pessoas ao construir ou reformar um imóvel, insistem em utilizar produtos falsificados, mais conhecidos como “piratas”, o que pode gerar em uma série de danos. No que se refere aos materiais elétricos, por exemplo, os cuidados devem ser redobrados. Existe a comercialização de cabos pirata de 150mm², que na verdade possuem 130mm², é preciso ficar atento.

Também existe a prática do golpe da quantidade. O consumidor adquire X metros de cabos e recebe uma quantidade menor do que a que realmente comprou. Além de gerar um prejuízo para o consumidor, essa prática envolve sérios riscos. Segundo especialistas, os condutores desbitolados são mais finos e não suportam a corrente elétrica que o condutor normatizado suporta. Desta maneira, há um sobreaquecimentos e até incêndios, além do maior consumo de energia.

 

Fonte: Jornal Estado de Minas

 

    Leave a Comment

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *